Feliz de quem tiver uma PEDRA em SAGRES

Palavras-chave | Keywords

"Boca do Rio" "Ermida da Guadalupe" "Farol de São Vicente" "Fauna e Flora" "Fortaleza de Sagres" "Gentes & Paisagens" "Gentes de Vila do Bispo" "Geologia e Paleontologia" "História do Mês" "Martinhal" "Menires de Vila do Bispo" "Paisagens de Vila do Bispo" "Tales from the Past" 3D Abrigo Antiguidade Clássica Apicultura ArqueoAstronomia Arqueologia Experimental Arqueologia Industrial Arqueologia Pública Arqueologia Subaquática Arquitectura arte Arte Rupestre Artefactos Baleeira Barão de São Miguel Base de Dados Bibliografia biodiversidade Budens Burgau Calcolítico Carta Arqueológica de Vila do Bispo Cartografia Cetárias Cista CIVB-Centro de Interpretação de Vila do Bispo Complexo industrial Concheiro Conservação e Restauro Descobrimentos Divulgação Educação Patrimonial EPAC Escolas & Paisagens de Vila do Bispo Espeleo-Arqueologia Estacio da Veiga Estela-menir Etnografia Exposição Figueira Filme Forte Fotografia Grutas Homem de Neandertal Idade Contemporânea Idade do Bronze Idade do Ferro Idade Média Idade Moderna Iluminados Passeios Nocturnos Ingrina Islâmico Landscape marisqueio Medieval-Cristão Megalitismo menires Mesolítico Mirense mitos & lendas Moçarabe Moinhos Museologia Navegação Necrópole Neo-Calcolítico Neolítico Neolítico Antigo NIA-VB Paleolítico Património Edificado Património natural Património partilhado Pedralva Pesca Povoado Pré-história Proto-história Raposeira Recinto Megalítico/Cromeleque Referências RMA Romano Roteiro Sagrado Sagres Salema Santos Rocha São Vicente Seascape Toponímia Vila do Bispo Villa Romana
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Menir / Povoado pré-histórico de Arneiros | Raposeira

Num suave cabeço com 95 m de altura, numa paisagem geológica de grés e xisto, a Norte e sobranceiro à Ermida da Guadalupe, contornado a N-NO pela Ribeira de Vale Pocilgão, foi erigido um menir de grês branco, hoje tombado. 
A 60 metros, na encosta sul da referida elevação, abre-se uma abrigada clareira, "escavada" por águas torrenciais, onde foi possível observar um diversificado conjunto artefactual que, genericamente, nos remete para cronologias pré-históricas - neolíticas: numerosos fragmentos de dormentes de mós manuais, alguns in situ, afeiçoadas em arenitos, grauvaques e xistos; moventes de mó; percutores; bigornas; restos de talhe de sílex; uma lamela de sílex; um fragmento de "pilão"; fragmentos de cerâmica manual.
O acesso ao arqueosítio é feito por um caminho de terra batida, à direita (sentido nascente-poente) da estrada da Guadalupe.