Feliz de quem tiver uma PEDRA em SAGRES

Palavras-chave | Keywords

"Boca do Rio" "Ermida da Guadalupe" "Farol de São Vicente" "Fauna e Flora" "Fortaleza de Sagres" "Gentes & Paisagens" "Gentes de Vila do Bispo" "Geologia e Paleontologia" "História do Mês" "Martinhal" "Menires de Vila do Bispo" "Paisagens de Vila do Bispo" "Tales from the Past" "Vale de Boi" 3D Abrigo Antiguidade Clássica Apicultura ArqueoAstronomia Arqueologia Experimental Arqueologia Industrial Arqueologia Pública Arqueologia Subaquática Arquitectura arte Arte Rupestre Artefactos Baleeira Barão de São Miguel Base de Dados Bibliografia biodiversidade Budens Burgau Calcolítico Carta Arqueológica de Vila do Bispo Cartografia Cetárias Cista CIVB-Centro de Interpretação de Vila do Bispo Complexo industrial Concheiro Conservação e Restauro Descobrimentos Divulgação Educação Patrimonial EPAC Escolas & Paisagens de Vila do Bispo Espeleo-Arqueologia Estacio da Veiga Estela-menir Etnografia Exposição Figueira Filme Forte Fotografia Geographia Grutas Homem de Neandertal Idade Contemporânea Idade do Bronze Idade do Ferro Idade Média Idade Moderna Iluminados Passeios Nocturnos Ingrina Islâmico Landscape marisqueio Medieval-Cristão Megalitismo menires Mesolítico Mirense mitos & lendas Moçarabe Moinhos Museologia Navegação Necrópole Neo-Calcolítico Neolítico Neolítico Antigo NIA-VB Paleolítico Património Edificado Património natural Património partilhado Pedralva Pesca Povoado Pré-história Proto-história Raposeira Recinto Megalítico/Cromeleque Referências RMA Romano Roteiro Sagrado Sagres Salema Santos Rocha São Vicente Seascape Toponímia Vila do Bispo Villa Romana
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

As Origens Pré-históricas do Reino dos Algarves

Prehistoric Origins of the Algarve Kingdom

Exposição Temporária
Temporary Exhibition

3 Set 28 Out

Centro de Interpretação de Vila do Bispo
Interpretation Center of Vila do Bispo







































Retrospetiva do conhecimento arqueológico da região do Algarve resultante de quase 150 anos de investigação, com incontornável passagem pelo sítio Paleolítico de Vale de Boi e pelo Megalitismo de Vila do Bispo

A retrospective of the archaeological research in the Algarve for the last 150 years, with unavoidable passage by the Paleolithic site of Vale de Boi and by the Megalithism of Vila do Bispo

Ficha Técnica | Technical sheet

Conteúdos | Contents: Nuno Bicho, António Faustino Carvalho, João Cascalheira, Célia Gonçalves, Lino André
Design gráfico | Design: Célia Gonçalves, João Cascalheira
Instituições | Institutions: ICArEHB (Universidade do Algarve), Câmara Municipal de Vila do Bispo
Produção | Production: ICArEHB, Centro de Ciência Viva do Algarve e Câmara Municipal de Vila do Bispo
Financiamento | Funding: Fundação para a Ciência e Tecnologia (UID/ARQ/04211/2013 - ICArEHB)

> inauguração no dia 3 de setembro, sábado próximo, pelas 14h00, no Centro de Interpretação de Vila do Bispo


Menires de Vila do Bispo na 24th SEAC Conference 2016 | Bath, UK

European Society for Astronomy in Culture

The Marriage of Astronomy and Culture: 
Theory and Method in the Study of Cultural Astronomy

12th16th September 2016
Bath, UK










Sponsored by the

No próximo dia 16 de setembro, pelas 12h00, o Eng.º Fernando Pimenta (Astrónomo membro da SEAC) e o arqueólogo municipal Ricardo Soares marcarão presença na 24th SEAC Conference - 24ª Conferência da SEAC (Sociedade Europeia para a Astronomia na Cultura) com uma comunicação intitulada Landscape Orientation of the Menhirs from Vila do Bispo and from the Interfluvial Basin of LagosOrientação na Paisagem dos Menires de Vila do Bispo e da Bacia Interfluvial de Lagos”.
Em 2016, a 24th SEAC Conference terá lugar na Bath Royal Literary and Scientific Institution (Real Instituição Literária e Científica de Bath,  Inglaterra) e será dedicada ao tema The Marriage of Astronomy and Culture: Theory and Method in the Study of Cultural AstronomyO Casamento Astronomia e Cultura: Teoria e Método no Estudo da Astronomia Cultural”.
Após revisão, a nossa proposta de comunicação foi aceite por um comité científico formado por Professores das seguintes universidades do Reino Unido: University of Wales Trinity Saint DavidDublin Institute of Technology, University College London e University of East London.
A nossa comunicação resulta do projeto de investigação designado de “ArqueoAstronomia Paisagística no Megalitismo Menírico de Vila do Bispo vs interfluvial Bensafrim-Odiáxere”, enquanto cruzamento interdisciplinar entre a Arqueologia, a Astronomia, a Estatística, a Cartografia e a leitura das Paisagens naturais e culturais. Trata-se de um subprojeto integrado na “Carta Arqueológica do Concelho de Vila do Bispo”, projeto da iniciativa do Município e da responsabilidade do arqueólogo municipal.
De recordar que a colaboração científica com o Eng.º Fernando Pimenta tem tido significativo alcance social, traduzido por diversas iniciativas destinadas à população loco-regional:
Além da comunicação perante um expressivo público científico, numa importante instituição inglesa, a Bath Royal Literary and Scientific Institution, os menires de Vila do Bispo serão valorizados e divulgados internacionalmente por via da publicação das respetivas Atas da Conferência.


Title:
LANDSCAPE ORIENTATION OF THE MENHIRS FROM VILA DO BISPO AND FROM THE INTERFLUVIAL BASIN OF LAGOS

Authors: Fernando Pimenta & Ricardo Soares

Abstract:
The menhirs from Vila do Bispo and from the interfluvial basin of Lagos, in southwest Algarve, Portugal, are located in areas where occupancy attributable to the Early Neolithic at the middle of VIth millennium BC present some characteristics absent in the neighbouring Alentejo region, like the presence of remains of domestic animals.
The archaeological data indicates an intense occupation of the fertile ground for agriculture, the use of endemic plants, presence of domestic animals and of marine biotypes that, in all, could sustain a sedentary population. Different patterns seem to exist between Vila do Bispo, with apparently peripheral settlements around a high density menhir area, and the interfluvial basin of Lagos, with a small number of menhirs situated around the settlements. The funerary practices and the votive artefacts of these populations are not known.
In Vila do Bispo over 250 menhirs survived until today in an area of about 42 km2, although very decontextualized. This is a significant sample with high material, morphological and decorative consistency, but the fact that most of these menhirs are overturned, fragmented and removed from their original locations limits their study. In Lagos about 30 menhirs in an area of 24 km2 present a better preservation status in a more contextualized situation. In both areas the shape and type of decorations are quite similar. Resembling sculptures of phalluses with a “gland”, their size and weight may vary considerably. Symbols that decorate the stones are consistently from four different types: half-ellipses below the “gland”, longitudinal ellipses, wave patterns and cupmarks. With the exception of cupmarks that may appear in menhirs with longitudinal ellipses, each menhir presents only one type of symbol.
Under the present research project - Archaeoastronomy in the Megalithic Landscapes of Vila do Bispo and Lagos - a statistical methodology has been applied to the distribution and landscape orientation of the current menhir locations. The methodology was divided into three analyses: spatial point pattern and alignments; local topography (elevation, slope and aspect); horizon topography (direction to the highest distant peaks, distance to the horizon and distribution of horizon features, potentially used as markers). The same methodology was applied to the area of Vila do Bispo, to the area of Lagos and to random sets of points located in the same areas; their respective results compared using different statistical tests.
The results revealed similar patterns between the areas of Vila do Bispo and Lagos and no correlation with the random sets, indicating a selection strategy for the places where the menhirs were erected. This raises important points on the discussion of whether valid inferences can be made from a sample of highly destroyed archaeological sites, such as those of Vila do Bispo. Based on orientation patterns and on the identified horizon markers a possible symbolic association with the Equinoctial Full Moons will be discussed, particularly between the Spring Full Moon and the menhirs engraved with longitudinal ellipses or cupmarks and between the Autumn Full Moon and the menhirs engraved with half ellipses or wave patterns.

PROGRAMA







História do Mês de Agosto | A Fortuna alada da Boca do Rio

A ‘História do Mês’ consiste numa iniciativa expositiva do Centro de Interpretação de Vila do Bispo iniciada em janeiro de 2015 onde, mensalmente, se apresenta um objeto e um associado discurso informativo. Além da divulgação, valorização e partilha de determinados apontamentos e curiosidades da memória coletiva do território, pretende-se, com esta iniciativa, provocar hábitos de visita ao nosso equipamento cultural.
Num verão de intensa atividade arqueológica, designadamente com escavações no sítio paleolítico de Vale de Boi e na área da necrópole romana da Boca do Rio, deixamos como História do Mês de agosto o relato da descoberta, nos finais do século XIX, e respetiva descrição, de um curioso artefacto proveniente da villa romana da Boca do Rio (Budens, Vila do Bispo). Trata-se de uma pequena estatueta produzida em bronze que representa uma das divindades do panteão de deuses romanos - a Fortuna.
Visite-nos!


Arqueologia de Vila do Bispo na RTP

No passado dia 11 de agosto a Arqueologia de Vila do Bispo obteve alguns minutos de 'tempo de antena' no programa da RTP1 "Praias Olímpicas", realizado durante a manhã em plena Praia da Salema (Budens, Vila do Bispo).
Aproveitámos a oportunidade para divulgar alguns excepcionais apontamentos acerca do rico património arqueológico disponível no atual território do Concelho de Vila do Bispo, designadamente com uma introdução do Professor João Pedro Bernardes, da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve, que também referiu a importância da cooperação entre o Município e a Universidade nos processos de investigação arqueológica e futura valorização do sítio paleolítico de Vale de Boi (Budens) e da villa romana da Boca do Rio (Budens). Ricardo Soares, arqueólogo municipal, complementou a intervenção com uma atividade dirigida às crianças do Concelho - "mini-Arqueólogos por 1 dia" - um jogo didático de simulação de uma escavação arqueológica, demonstrando assim a importância das narrativas de alcance social, numa perspetiva de arqueologia pública e de educação/sensibilização patrimonial. 



'Verão Desportivo' visita escavação arqueológica em Vale de Boi

O projeto “Verão Desportivo - Férias de Verão 2016”, promovido pela Câmara Municipal de Vila do Bispo, regressou mais uma vez ao tema ‘Arqueologia’, desta feita para duas visitas à escavação arqueológica de um sítio paleolítico identificado em 1998 junto da aldeia de Vale de Boi. 
Guiados pelo arqueólogo municipal em mais uma iniciativa de educação/fruição patrimonial, as crianças foram acolhidas, nos passados dias 26 e 28 de julho, pela equipa do Professor Nuno Bicho da Universidade do Algarve.
Além das explicações sobre este importante sítio arqueológico, onde foram documentados os mais remotos vestígios de presença humana do sul peninsular (33 mil anos!), os nossos pequenos exploradores também tiveram a oportunidade de participar ativamente em algumas tarefas do quotidiano de uma escavação arqueológica.


Arqueologia com "vista-mar" | Boca do Rio 2016

Durante o mês de julho de 2016, uma equipa de arqueólogos e antropólogos, coordenada pelo Professor Doutor João Pedro Bernardes, da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve, realizou uma 1.ª campanha de escavações na área envolvente da villa Romana da Boca do Rio (Budens). 
Com o apoio técnico, logístico e financeiro da Câmara Municipal de Vila do Bispo, esta inédita abordagem foi significativamente bem sucedida, antevendo-se boas perspectivas de continuidade da investigação deste importante contexto arqueológico nos anos vindouros...

Obrigado!