Feliz de quem tiver uma PEDRA em SAGRES

Palavras-chave | Keywords

"Boca do Rio" "Ermida da Guadalupe" "Farol de São Vicente" "Fauna e Flora" "Fortaleza de Sagres" "Gentes & Paisagens" "Gentes de Vila do Bispo" "Geologia e Paleontologia" "História do Mês" "Martinhal" "Menires de Vila do Bispo" "Paisagens de Vila do Bispo" "Tales from the Past" "Vale de Boi" 3D Abrigo Antiguidade Clássica Apicultura ArqueoAstronomia Arqueologia Experimental Arqueologia Industrial Arqueologia Pública Arqueologia Subaquática Arquitectura arte Arte Rupestre Artefactos Baleeira Barão de São Miguel Base de Dados Bibliografia biodiversidade Budens Burgau Calcolítico Carta Arqueológica de Vila do Bispo Cartografia Cetárias Cista CIVB-Centro de Interpretação de Vila do Bispo Complexo industrial Concheiro Conservação e Restauro Descobrimentos Divulgação Educação Patrimonial EPAC Escolas & Paisagens de Vila do Bispo Espeleo-Arqueologia Estacio da Veiga Estela-menir Etnografia Exposição Figueira Filme Forte Fotografia Geographia Grutas Homem de Neandertal Idade Contemporânea Idade do Bronze Idade do Ferro Idade Média Idade Moderna Iluminados Passeios Nocturnos Ingrina Islâmico Landscape marisqueio Medieval-Cristão Megalitismo menires Mesolítico Mirense mitos & lendas Moçarabe Moinhos Museologia Navegação Necrópole Neo-Calcolítico Neolítico Neolítico Antigo NIA-VB Paleolítico Património Edificado Património natural Património partilhado Pedralva Pesca Povoado Pré-história Proto-história Raposeira Recinto Megalítico/Cromeleque Referências RMA Romano Roteiro Sagrado Sagres Salema Santos Rocha São Vicente Seascape Toponímia Vila do Bispo Villa Romana
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sagres no 1.º Congresso Internacional 'Santuários' | Alandroal | 2014

Santuários, Cultura, Arte, Romarias, Peregrinações,
Paisagens e Pessoas

- 14 setembro 2014 Alandroal Portugal

OSANTUÁRIOS como espaços de devoção em todos os tempos e em todas as culturas é o objecto de análise deste congresso, onde se desafiam todos aqueles que vivem e estudam os santuários: antropólogos, arqueólogos, arquitectos, artistas plásticos e performativos, biólogos, conservadores/restauradores, crentes,
devotos e peregrinos, curadores, escritores, designers,
filósofos, gastrónomos, geólogos, historiadores,
historiadores de arte, médicos, musicólogos,
músicos e musicólogos, psicólogos,
sacerdotes, sociólogos
e todos aqueles que entendam que o seu trabalho ou a sua devoção tem uma relação com um conceito amplo de santuários. 





Vila do Bispo vai estar presente no 1.º Congresso Internacional dedicado ao tema "Santuários", a realizar-se no Alandroal em setembro de 2014, o que faz todo o sentido, basta recuperar a origem do mais remoto topónimo da região:
Promontorium Sacrum - Promontório Sagrado - Sagres.
Município de Vila do Bispo apoia a presença no Congresso Santuários, de dois dos seus técnicos, Artur Jorge de Jesus (Licenciado em História) e Ricardo Soares (Arqueólogo), que vão assim apresentar duas comunicações complementares acerca da sacralização das paisagens de Sagres ao longo da história.
De facto, o território do Cabo de Sagres/São Vicente manifesta uma muito remota, intensa e contínua exploração mágico-religiosa, desde os primórdios da sua ocupação humana até aos nossos dias, realidade que se pretende aflorar por via de um discurso partilhado entre a investigação arqueológica e a leitura histórica, entre os nossos menires e o culto de São Vicente...

Comunicações:
'O Promontorium Sacrum: uma intemporal paisagem sagrada'
Ricardo Soares – Arqueólogo | Câmara Municipal de Vila do Bispo
'O Cabo de São Vicente: histórias, letras e sentimentos'
Artur Vieira de Jesus – Licenciado em História | Câmara Municipal de Vila do Bispo



CIEBA: Centro de Investigação em Estudos de Belas-Artes
FBAUL: Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa
congresso.santuarios@gmail.com

Universidade do Algarve e mergulhadores internacionais exploram a gruta 'Catedral' | Sagres

No âmbito do projeto de investigação da UAlg, Marine Caves Lifes Project (MCLP), Sagres acolhe uma campanha de investigação científica subaquática, com o objectivo de estudar a biodiversidade, a geologia e a hidrodinâmica das suas grutas marinhas. Esta campanha, que tem como principal missão realizar a cartografia detalhada e o estudo da biodiversidade da gruta 'Catedral', conta com a participação da GUE no âmbito do projecto BaseLine - Global Underwater Explorers - Expedition 2014 e GUE Project Baseline Sagres e com alguns dos nomes mais emblemáticos do mundo do mergulho, tais como Jarrod Jablonsky e Todd Kincaid.
A Global Underwater Explorers - Expedition 2014 estará em Portimão com o navio Pacific Provider, com logística fornecida pela Brownie's Global Logistics, composta por equipamentos da mais alta tecnologia no que diz respeito a exploração subaquática: desde mini-submarinos, centro de enchimentos com misturas complexas para mergulhos técnicos, tecnologia rebreather, câmara hiperbárica, entre outros.
A visita da Global Underwater Explorers - Expedition 2014 a Portugal e, nomeadamente, a Sagres, irá proporcionar uma oportunidade única para a comunidade científica, que poderá recolher dados muito importantes para o estudo e compreensão destes sistemas muito complexos de grutas marinhas, que de outra forma não seria possível.
As grutas marinhas correspondem a sistemas naturais de elevado valor ambiental e interesse ecológico e geológico. Este tipo de habitats assume um carácter de excepcionalidade com uma elevada especificidade ecológica, correspondendo a importantes áreas de produção marinha, locais de refúgio e berçário para inúmeras espécies.
Estas grutas marinhas, apresentam uma génese associada ao período pós última Idade do Gelo (últimos 18000 anos) e a sua fisiografia encontra-se muito relacionada, quer com as formações geológicas onde se enquadram, quer com a hidrodinâmica marinha costeira, conferindo a estes sistemas costeiros confinados, uma hidrodinâmica muito complexa. Estas grutas são habitats prioritários para fins de conservação, mas relativamente às grutas marinhas da costa Este do Atlântico, especialmente as da costa portuguesa, não existe quase informação.

Menires da Pedra Escorregadia – Cascalhar | Vila do Bispo

A "Pedra Escorregadia", documentada nas cinco primeiras imagens que se seguem, é um  menir com 2 m de maior comprimento, situado a menos de 1 km a sudoeste de Vila do Bispo, a nascente (à esquerda) do km 29.2 da antiga EN 268, no topo de um pequeno cerro com 97 metros de altura, parcialmente cortado a poente pela estrada nova.
Desta pedra, que terá originado o topónimo local, é possível desfrutar de uma panorâmica paisagem que se estende a norte até ao casario de Vila do Bispo, permitindo a directa intervisibilidade com outras áreas envolventes 'povoadas' por menires: Amantes, Camacho, Santo António, Milrei, Padrão...
Interessantes alguns ecos de tradição oral local que associam esta pedra ('Escorregadia') a um sub-actual ritual 'pagão', relacionado com cultos de amor e fecundidade!
O conjunto de monólitos da Pedra Escorregadia – Cascalhar foi talhado/afeiçoado sobre blocos de calcário regional de cor branca, apresentando formas subcilíndricas ou troncocónicas. O maior, a própria "Pedra Escorregadia", apresenta uma faixa vertical em relevo, constituída por 3 elipses. Alguns metros mais abaixo, na encosta sul do cerro, surge outro interessante monólito, um fragmentário topo de menir que também apresenta decorações gravadas – elipses/linhas ondulantes.
Partindo do cerro da Pedra Escorregadia, onde também existe uma sepultura colectiva de tipo "cista" (parcialmente escavada e com enterramentos enquadráveis em cronologias do Neolítico Final – IV Milénio a.C.), inicia-se um roteiro megalítico que permite observar, além de diversos apontamentos paisagísticos e naturais, uma série de menires hoje tombados, dispersos entre a Pedra Escorregadia, a Casa do Francêso Monte dos Amantes e o Cerro do Camacho
O roteiro original - À descoberta dos menires | Roteiro do Monte dos Amantes - promoveu a justa valorização de um interessante conjunto megalítico classificado como Imóvel de Interesse Público. Passada mais de uma década, impõe-se a sua actualização/renovação, tratando-se de uma tarefa actualmente em marcha por iniciativa da Junta de Freguesia de Vila do Bispo/Raposeira, com o apoio técnico do arqueólogo municipal. Entretanto e neste sentido, algumas acções de divulgação e sensibilização têm sido partilhadas pelo projecto Iluminados Passeios Nocturnos

Menires do Monte dos Amantes – Casa do Francês | Vila do Bispo

Na continuidade do trilho megalítico iniciado na Pedra Escorregadia, 100 m a sul pelo caminho de terra batida, surge um suave cabeço com 84 m de altitude, perfeitamente circular e naturalmente ataludado, onde se pode observar alguns monólitos nas imediações da "Casa do Francês" (moradia que domina o cabeço). Circundando a sua topografia por nascente, passando-se por mais um menir e por dois afloramentos decorados com 'covinhas' e outros "bonecos", avista-se a S-SE o Monte dos Amantes e o Cerro do Camacho, outra elevação 'povoada' por um interessante conjunto de menires...