Feliz de quem tiver uma PEDRA em SAGRES

Palavras-chave | Keywords

"Boca do Rio" "Ermida da Guadalupe" "Farol de São Vicente" "Fauna e Flora" "Fortaleza de Sagres" "Gentes & Paisagens" "Gentes de Vila do Bispo" "Geologia e Paleontologia" "História do Mês" "Martinhal" "Menires de Vila do Bispo" "Paisagens de Vila do Bispo" "Tales from the Past" "Vale de Boi" 3D Abrigo Antiguidade Clássica Apicultura ArqueoAstronomia Arqueologia Experimental Arqueologia Industrial Arqueologia Pública Arqueologia Subaquática Arquitectura arte Arte Rupestre Artefactos Baleeira Barão de São Miguel Base de Dados Bibliografia biodiversidade Budens Burgau Calcolítico Carta Arqueológica de Vila do Bispo Cartografia Cetárias Cista CIVB-Centro de Interpretação de Vila do Bispo Complexo industrial Concheiro Conservação e Restauro Descobrimentos Divulgação Educação Patrimonial EPAC Escolas & Paisagens de Vila do Bispo Espeleo-Arqueologia Estacio da Veiga Estela-menir Etnografia Exposição Figueira Filme Forte Fotografia Geographia Grutas Homem de Neandertal Idade Contemporânea Idade do Bronze Idade do Ferro Idade Média Idade Moderna Iluminados Passeios Nocturnos Ingrina Islâmico Landscape marisqueio Medieval-Cristão Megalitismo menires Mesolítico Mirense mitos & lendas Moçarabe Moinhos Museologia Navegação Necrópole Neo-Calcolítico Neolítico Neolítico Antigo NIA-VB Paleolítico Património Edificado Património natural Património partilhado Pedralva Pesca Povoado Pré-história Proto-história Raposeira Recinto Megalítico/Cromeleque Referências RMA Romano Roteiro Sagrado Sagres Salema Santos Rocha São Vicente Seascape Toponímia Vila do Bispo Villa Romana
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

MEGA SOLSTITIUM de INVERNO & BOAS FESTAS

Menir do Padrão, Raposeira, Vila do Bispo
















Na madrugada do dia 22 de dezembro, pelas 04:48 (hora de Lisboa), ocorreu o SOLSTÍCIO de INVERNO, ou seja, o momento exato em que se deu início ao inverno no hemisfério norte. 
Do ponto de vista astronómico, este evento é assinalado pelo instante em que o Sol alcança a declinação mínima na esfera celeste (exatamente 23° 26′ 10″ a sul do equador).
O inverno durará 88,99 dias e termina no próximo equinócio que ocorrerá no dia 20 de março, pelas 04:30 (hora de Lisboa). 
A palavra "Solstício" tem uma origem latina (solstitium) e encontra-se associada à ideia de que o Sol ficaria estacionário ao atingir os pontos extremos de declinação.

ESTRATO-GRAFIAS

Redtree Times

Archaeology series by GC Myers 


Archaeology: Merry Christmas


Archaeology: The Story Told
Archaeology: Formed in the Past
Archaeology: Oh, the Places You'll Go!
Archaeology: Rainbow’s End
Archaeology: Legacy
Archaeology: A New History


Archaeology: Ozymandias













Archaeology: All We Leave Behind


Archaeology: New Day
Archaeology: Future Past

Archaeology: Under the Same Sun



















História do Mês de Dezembro | os menires de Vila do Bispo: do Padrão a Stonehenge!

A 'História do Mês' consiste numa iniciativa expositiva do Centro de Interpretação de Vila do Bispo onde mensalmente se apresenta um objeto e um associado discurso informativo. Além da divulgação, partilha e valorização de determinados apontamentos e curiosidades da memória coletiva do território, pretende-se, com esta iniciativa, provocar hábitos de visita ao nosso equipamento cultural.
Em dezembro, na última história do ano de 2015, propomos a integração dos menires de Vila do Bispo no contexto do processo de monumentalização megalítica da Europa. 
No extremo sudoeste do continente europeu, precisamente no atual território do concelho de Vila do Bispo, podemos encontrar a maior concentração de menires da Península Ibérica e, muito provavelmente, os mais antigos monumentos megalíticos da Europa (ocidental). Nesta lógica, descrevemos uma longa viagem entre o Promontório Sagrado e o norte de Europa, entre o menir do Padrão, na Raposeira, e o monumento de Stnonehenge, em Inglaterra.






































Escolas & Paisagens de Vila do Bispo

Atividades de Apoio Escolar em Vila do Bispo e Lagos

Durante os meses de outubro, novembro e dezembro do presente ano, a Câmara Municipal de Vila do Bispo prestou apoio a alunos e docentes do 1.º Ciclo do Ensino Básico de Vila do Bispo e de Lagos, dando-lhes a conhecer alguns aspetos da história local e aprofundando alguns momentos e espaços onde se desenrolou a nossa História.
A pedido de alguns docentes, o técnico municipal de História levou a cabo 9 sessões temáticas, que abrangeram todos os alunos da EB 1 de Vila do Bispo (Agrupamento de Escolas do Concelho de Vila do Bispo) e 2 turmas de 4.º ano da EB 1 n.º 3 de Lagos (Agrupamento de Escolas Gil Eanes – Lagos), através de uma análise abrangente, desde os tempos mais recuados até a um passado mais recente.
Além de inúmeras curiosidades, como a chegada do comboio a Portugal, a origem das passadeiras de rua, a chegada do primeiro rinoceronte a Portugal e à Europa e como se vivia num palácio, por exemplo, os pequenos alunos foram alertados para a importância histórica de locais como Vale de Boi, a Boca do Rio, a Fortaleza de Sagres, a Vila do Bispo e o Cabo de São Vicente.
Esta iniciativa, organizada pela Câmara Municipal, contou com a estreita colaboração de 6 docentes, de várias assistentes e abrangeu 84 crianças, entre as quais se encontravam algumas do ensino especial. O grande objetivo foi demonstrar a importância e a atualidade do conhecimento da História de Portugal e da História local entre os mais pequenos, visando a sua valorização pessoal.
Para eventuais marcações e informações adicionais sobre estas ações, os docentes interessados poderão contactar os nossos serviços no Centro de Interpretação de Vila do Bispo (antigo mercado municipal), pessoalmente, pelo email patrimonio.historico@cm-viladobispo.pt, ou pelo telefone 282 630 600/300 (Artur de Jesus).




o Projeto LIFE Charcos e o 'Triops vicentinus'

A Liga para a Proteção da Natureza (LPN) promoveu, no passado dia 13 de dezembro, uma sessão pública para apresentar do projeto LIFE Charcos - Conservação de Charcos Temporários na Costa Sudoeste de Portugal. A sessão decorreu no Centro de Interpretação de Vila do Bispo e num dos charcos temporários alvo de monitorização no âmbito do referido projeto. 
Claro que o nosso Triops vicentinus foi o grande protagonista e alvo principal das atenções no decorrer da ação. De recordar que esta espécie é endémica dos charcos temporários do Concelho de Vila do Bispo, ou seja, no Mundo inteiro apenas existe neste extremo sudoeste do Continente Europeu!
Estes organismos são conhecidos como fósseis vivos porque existem há mais de 200 milhões de anos - do tempo dos dinossauros! São crustáceos de água doce temporária e são designados por “camarões-girinos”. O seu ciclo de vida é pautado pela sazonalidade do charco onde vivem e os seus "ovos" resistem na fase seca para eclodirem com as primeiras chuvas do ano seguinte - incrível!
O género Triops é assim chamado pelo facto de possuir 3 olhos (2 olhos compostos e 1 naupliano). Estes animais possuem também entre 35 a 71 pares de apêndices designados de toracópodes. Estes toracópodes, característica dos Branquiopodes, têm várias funções, ou seja, alguns servem para a respiração (brânquias nos pés), outros ajudam o animal a mover-se e outros ainda ajudam-no a alimentar-se.
Os Triops vivem no fundo dos charcos temporários, junto dos sedimentos, mas podem ser encontrados a nadar em toda a coluna de água.
Estes animais possuem os sexos separados mas os machos e as fêmeas são muito parecidos. Uma das principais diferenças é que nas fêmeas o décimo-primeiro toracópode é ligeiramente modificado para poder albergar os cistos. Outra diferença é que a carapaça dos machos é ligeiramente mais redonda do que a das fêmeas mas a carapaça das fêmeas é maior do que a carapaça dos machos.
O comprimento máximo da carapaça, sem contar com os cercópodes (cauda) pode chegar até aos 7cm.
Na sua primeira fase de vida estes fantásticos animais são filtradores, terminando como predadores carnívoros.
A preservação dos charcos temporários torna-se assim essencial para a sobrevivência desta singular espécie, bem como de outras, animais e vegetais. Trata-se de uma missão relativamente fácil, por via da informação e sensibilização, e perfeitamente compatível com atividades económicas ditas 'tradicionais'. Por vezes a agricultura e a pastorícia partilham as mesmas áreas dos charcos temporários. A ação não massificada do pastoreio pode inclusive contribuir para a sustentabilidade e disseminação destes crustáceos. Pelo facto de resistirem aos ácidos gástricos dos herbívoros, os Triops podem ser transportados nas fezes do gado povoando assim outras zonas alagadiças.

Escusado será dizer que em terra de mariscadores, 
estes crustáceos não são comestíveis!!!

SAGRES - Marca do Património Europeu


Foi tornado público o resultado da avaliação da candidatura apresentada no início deste ano, pela Direção Regional de Cultura do Algarve, de Sagres a Marca do Património Europeu.
A Marca do Património Europeu (MPE) é uma nova medida da União Europeia que tem por base uma iniciativa intergovernamental lançada em 2006. Foi estabelecida pelo Parlamento e pelo Conselho da Europa.
Nos termos do regulamento “os objetivos gerais da Marca do Património Europeu (MPE) consistem em reforçar o sentimento de pertença à União Europeia por parte dos cidadãos europeus, em especial dos jovens, com base nos valores e elementos comuns da história e do património cultural europeus, valorizar a diversidade nacional e regional e incrementar o diálogo intercultural. Para isso, esta designação procura realçar o valor simbólico e melhorar a visibilidade de sítios que tenham desempenhado um papel significativo na história e na cultura da Europa e/ou na construção da União Europeia.”
Os procedimentos de seleção e de controlo da MPE são rigorosos e estabelecem várias fases de apreciação. Após uma pré seleção dos Estados Membros que remeteu para o painel de peritos 18 candidatos, o Promontório de Sagres foi hoje incluido oficialmente na lista em conjunto com outros 8 sítios históricos da Europa. A Comissão Europeia designará formalmente os sítios em fevereiro e em abril de 2016, realizar-se-á em Bruxelas uma cerimónia de entrega dos prémios.
No excerto a ser divulgado pela União Europeia refere-se que: “a Ponta de Sagres apresenta uma paisagem rica do ponto de vista histórico e cultural situada no canto sudoeste da Península Ibérica. Nela se encontram vestígios arqueológicos significativos, estruturas urbanas e monumentos que atestam a sua localização estratégica e a sua importância ao longo dos séculos. A Ponta de Sagres tornou-se o quartel-general do Infante Dom Henrique para o seu projeto de expansão marítima durante o séc. XV, um local da maior importância para o Período das Descobertas, período que marcou a expansão da cultura, das ciências, da exploração e do comércio europeus tanto para o Atlântico como para o Mediterrâneo, abrindo o caminho para a afirmação e projeção da civilização europeia, que veio a modular o mundo moderno”.
Este reconhecimento Europeu é um passo importante para o processo de candidatura em curso a Património da Humanidade junto da UNESCO em desenvolvimento pelo Algarve, sob a designação de “Lugares da Primeira Globalização”, que também inclui Sagres.