Feliz de quem tiver uma PEDRA em SAGRES

Palavras-chave | Keywords

"Boca do Rio" "Ermida da Guadalupe" "Farol de São Vicente" "Fauna e Flora" "Fortaleza de Sagres" "Gentes & Paisagens" "Gentes de Vila do Bispo" "Geologia e Paleontologia" "História do Mês" "Martinhal" "Menires de Vila do Bispo" "Paisagens de Vila do Bispo" "Tales from the Past" "Vale de Boi" 3D Abrigo Antiguidade Clássica Apicultura ArqueoAstronomia Arqueologia Experimental Arqueologia Industrial Arqueologia Pública Arqueologia Subaquática Arquitectura arte Arte Rupestre Artefactos Baleeira Barão de São Miguel Base de Dados Bibliografia biodiversidade Budens Burgau Calcolítico Carta Arqueológica de Vila do Bispo Cartografia Cetárias Cista CIVB-Centro de Interpretação de Vila do Bispo Complexo industrial Concheiro Conservação e Restauro Descobrimentos Divulgação Educação Patrimonial EPAC Escolas & Paisagens de Vila do Bispo Espeleo-Arqueologia Estacio da Veiga Estela-menir Etnografia Exposição Figueira Filme Forte Fotografia Geographia Grutas Homem de Neandertal Idade Contemporânea Idade do Bronze Idade do Ferro Idade Média Idade Moderna Iluminados Passeios Nocturnos Ingrina Islâmico Landscape marisqueio Medieval-Cristão Megalitismo menires Mesolítico Mirense mitos & lendas Moçarabe Moinhos Museologia Navegação Necrópole Neo-Calcolítico Neolítico Neolítico Antigo NIA-VB Paleolítico Património Edificado Património natural Património partilhado Pedralva Pesca Povoado Pré-história Proto-história Raposeira Recinto Megalítico/Cromeleque Referências RMA Romano Roteiro Sagrado Sagres Salema Santos Rocha São Vicente Seascape Toponímia Vila do Bispo Villa Romana
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Exposição "Os 'novos' menires de Vila do Bispo"


Centro Cultural de Vila do Bispo
30 setembro - 08 novembro 2019

























Mostra de 51 criações escultóricas em papel machê, realizadas por crianças no âmbito da Atividade de Enriquecimento Curricular – Conhecimento do Património Local de Vila do Bispo, ano-letivo 2018-2019, com o apoio artístico da escultora Tineke Smit, tendo por objetivo a consolidação de conhecimentos previamente adquiridos por via do cruzamento entre Arqueologia e Arte. Explorando a temática das mais remotas representações artísticas produzidas pelas antigas comunidades neolíticas que ocuparam o atual território de Vila do Bispo, as crianças foram estimuladas à livre projeção tridimensional da sua própria criatividade e a produzir novas esculturas inspiradas nos menires, pintadas com novos motivos decorativos nelas impressos. Os trabalhos foram realizados em grupo, tal como na Pré-história, obras coletivas produzidas pela comunidade. Foram reaproveitados materiais como garrafas e garrafões de plástico e muito papel de jornal, sensibilizando as crianças para as boas práticas cívicas e ambientais da reciclagem. O conjunto escultórico foi apresentado ao público, pela 1.ª vez, no dia 22 de junho de 2019. As atuais paisagens do antigo território megalítico do Monte dos Amantes foram então repovoadas com uma instalação artística do género land art, um grande recinto inspirado nos cromeleques pré-históricos do Neolítico. Finda a presente exposição, as obras serão oferecidas pelas crianças a diversas instituições locais, na pessoa dos seus representantes, designadamente a todas as escolas e salas de aulas do Concelho, Lares e Centros de Dia.

Passeio 2 mil anos a 2 km hora encerra 6.ª campanha arqueológica na villa Lusitano-Romana da Boca do Rio

Artigo: Passeio deu a conhecer dois mil anos de História da Boca do Rio 
Texto: Daniel Pina
Fotografia: Daniel Pina 

Algarve Informativo #220 (28 setembro 2019)

Passeio 2 mil anos a 2 km hora, Natureza e Arqueologia da Boca do Rio


Na manhã do passado sábado, dia 14 de setembro de 2019, o complexo paisagístico da Boca do Rio, na freguesia de Budens, foi palco de um percurso pedestre interpretativo desenvolvido em 2 horas, ao longo de 4 km que recuperam 2 mil anos de presença humana no local. A iniciativa, que contou com a presença de cerca de 40 participantes, foi promovida pelo Município de Vila do Bispo, em colaboração com a Universidade do Algarve e a Universidade alemã de Marburg, tendo sido inscrita no programa Ciência Viva no Verão 2019.
Ao longo do roteiro interpretativo, foi dada particular atenção ao próprio contexto natural, à sua geologia, biodiversidade e respetivos habitats. Numa perspetiva cultural, foram abordadas realidades arqueológicas, históricas e etnográficas que exemplarmente ilustram a evolutiva sequência de presença humana de gentes que forjaram o território com uma genuína combinação de recursos da terra e do mar.
O passeio incluiu a visita aos trabalhos arqueológicos em curso na villa lusitano-romana da Boca do Rio, no âmbito da 6.ª Campanha Arqueológica Luso-Alemã, projeto de investigação encetado em março de 2017, sob direção científica do Professor João Pedro Bernardes, da Universidade do Algarve, em colaboração com a equipa de arqueólogos da Universidade alemã de Marburg, coordenada pelo Professor Felix Teichner, e com o apoio do Município de Vila do Bispo.
O percurso foi guiado pelo arqueólogo municipal, Ricardo Soares, e pelo Professor João Pedro Bernardes, da UAL’g. Ao longo do passeio, destaque para o contributo surpresa de habitantes de Budens, que enriqueceram a narrativa com histórias e memórias da sua vivência naquelas paisagens. Destaque, ainda, para a participação e contributo da Professora Margarida Cristo, da Universidade do Algarve, que, na qualidade de Bióloga, transmitiu interessantes informações relativas à biodiversidade e habitats disponíveis na área da Boca do Rio.



Visita da Archaeological Association of the Algarve à villa Lusitano-Romana da Boca do Rio

No passado dia 11 de setembro, o sítio Lusitano-Romana da Boca do Rio, na freguesia de Budens, recebeu a visita de alguns dos membros da Associação Arqueológica do Algarve (AAA - Archaeological Association of the Algarve), organização sem fins lucrativos instituída em 1983 por um grupo de residentes de origem estrangeira, particularmente interessados na arqueologia algarvia e na história da região em geral. Desde então, a AAA tem vindo a apoiar uma série de projetos de investigação arqueológica em diversos sítios e monumentos, tanto no Algarve como noutros pontos do País.

De destacar o interesse e alguns apoios prestados pela AAA à investigação do passado romano do atual território concelhio de Vila do Bispo, razão pela qual os seus associados visitam, regularmente, os trabalhos desenvolvidos na área de ocupação da antiga villa Lusitano-Romana da Boca do Rio, no âmbito de projeto arqueológico encetado em março de 2017, sob direção científica do Professor João Pedro Bernardes, da Universidade do Algarve, em colaboração com a equipa de arqueólogos da Universidade alemã de Marburg, coordenada pelo Professor Felix Teichner, sempre com o apoio do Município de Vila do Bispo.