Feliz de quem tiver uma PEDRA em SAGRES

Palavras-chave | Keywords

"Boca do Rio" "Ermida da Guadalupe" "Farol de São Vicente" "Fauna e Flora" "Fortaleza de Sagres" "Gentes & Paisagens" "Gentes de Vila do Bispo" "Geologia e Paleontologia" "História do Mês" "Martinhal" "Menires de Vila do Bispo" "Paisagens de Vila do Bispo" "Tales from the Past" "Vale de Boi" 3D Abrigo Antiguidade Clássica Apicultura ArqueoAstronomia Arqueologia Experimental Arqueologia Industrial Arqueologia Pública Arqueologia Subaquática Arquitectura arte Arte Rupestre Artefactos Baleeira Barão de São Miguel Base de Dados Bibliografia biodiversidade Budens Burgau Calcolítico Carta Arqueológica de Vila do Bispo Cartografia Cetárias Cista CIVB-Centro de Interpretação de Vila do Bispo Complexo industrial Concheiro Conservação e Restauro Descobrimentos Divulgação Educação Patrimonial EPAC Escolas & Paisagens de Vila do Bispo Espeleo-Arqueologia Estacio da Veiga Estela-menir Etnografia Exposição Figueira Filme Forte Fotografia Geographia Grutas Homem de Neandertal Idade Contemporânea Idade do Bronze Idade do Ferro Idade Média Idade Moderna Iluminados Passeios Nocturnos Ingrina Islâmico Landscape marisqueio Medieval-Cristão Megalitismo menires Mesolítico Mirense mitos & lendas Moçarabe Moinhos Museologia Navegação Necrópole Neo-Calcolítico Neolítico Neolítico Antigo NIA-VB Paleolítico Património Edificado Património natural Património partilhado Pedralva Pesca Povoado Pré-história Proto-história Raposeira Recinto Megalítico/Cromeleque Referências RMA Romano Roteiro Sagrado Sagres Salema Santos Rocha São Vicente Seascape Toponímia Vila do Bispo Villa Romana
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Os Menires de Vila do Bispo no Simpósio Fusis Quois | Constância

os Astros e os Homens
a Vida e a Morte
30 outubro 2015
Centro Ciência Viva de Constância 






A convite da própria organização, Fernando Pimenta, Engenheiro Eletrotécnico e Astrónomo membro da Sociedade Europeia para a Astronomia na Cultura, e Ricardo Soares, Arqueólogo da Câmara Municipal de Vila do Bispo, vão participar, no dia 30 de outubro, no 'SIMPÓSIO FUSIS QUOIS' que irá ter lugar em Constância.
A nossa presença surge na sequência do projeto de investigação 'ArqueoAstronomia Paisagística no Megalitismo Menírico de Vila do Bispo vs interfluvial Bensafrim-Odiáxere', recentemente apresentado (dia 27 de setembro) no Centro de Interpretação de Vila do Bispo, no âmbito da iniciativa 'Maratona Astro-Arqueológica nos Menires de Vila do Bispo'.
O simpósio Fusis Quois é organizado pelo Centro de Pré-História do Instituto Politécnico de Tomar, em colaboração com o Centro Ciência Viva de Constância e o Município de Constância.


Resumo da comunicação

Os menires do Concelho de Vila do Bispo e da área interfluvial de Bensafrim-Odiáxere encontram-se localizados numa região onde a ocupação atribuível ao Neolítico antigo evidencia algumas características que a diferenciam de outros contextos meníricos, nomeadamente presentes no vizinho Alentejo Central.
Também os dados arqueológicos existentes parecem apontar para lógicas diferentes entre o concelho de Vila do Bispo, com povoados neolíticos aparentemente periféricos relativamente aos menires, e o interfluvial Bensafrim-Odiáxere, onde os menires se situam aparentemente em torno de povoados.
Por outro lado, ainda não são conhecidos rituais funerários relacionáveis, eventualmente latentes em contextos de gruta.
Ainda que muito fragmentários e descontextualizados, no concelho de Vila do Bispo, numa área de pouco mais de 42 km2, sobreviveram até hoje cerca de 250 menires. Trata-se de uma amostra significativa, de grande consistência material, morfológica e decorativa. Porém, o facto de grande parte destes menires se encontrarem derrubados, fragmentados e deslocados do local original de implantação condiciona bastante o seu estudo.
No âmbito do projeto de investigação – ArqueoAstronomia Paisagística no Megalitismo Menírico de Vila do Bispo vs interfluvial Bensafrim-Odiáxere – foi aplicada uma metodologia de análise estatística e geográfica da implantação, distribuição e orientação global na paisagem sobre a atual localização dos menires. A metodologia aplicada divide-se em três blocos de estudo aplicados às áreas de Vila do Bispo, do interfluvial Bensafrim-Odiáxere e a conjuntos de pontos aleatórios obtidos nas regiões em causa: Padrão espacial de ocupação do território; Análise topográfica local: elevação, declive e azimute de declive máximo; Análise topográfica do horizonte: direcção para o pico distante mais elevado, perfil da distância ao horizonte em função do azimute e possíveis marcas no horizonte em função da declinação.
Apesar das limitações com que este estudo foi desenvolvido, nomeadamente a utilização de um modelo digital de terreno com uma quadrícula de 90 x 90 metros, algumas localizações imprecisas e vários dados incompletos, os resultados revelaram padrões semelhantes entre as áreas de Vila do Bispo e do interfluvial Bensafrim-Odiáxere que justificam uma clara intencionalidade na seleção dos locais onde os menires foram implantados, parecendo indiciar uma associação simbólica de grande parte dos menires com as Luas Cheias Equinociais e levantando a possibilidade de uma diferenciação entre a Lua Cheia da Primavera e a Lua Cheia de Outono associada a diferentes tipologias de gravuras: elipses longitudinais, por um lado e “glandes fálicas” e ondulados, por outro.

Cozinhando na Paisagem na Ermida de N.ª Sr.ª de Guadalupe | Raposeira

18 outubro |15:30 horas


No próximo domingo, dia 16 de outubro, a Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe, na Raposeira, irá acolher a última sessão agendada da ação performativa COZINHANDO NA PAISAGEM - um longo périplo iniciado em 2013 e que já passou pelos monumentos megalíticos de Alcalar (Portimão), villa romana de Milreu (Faro), muralhas de Lagos, Palácio de Estoi (Faro), Castelo de Aljezur, Fortaleza de Sagres, cidade de Tavira, abrigo paleolítico de Vale de Boi (Vila do Bispo), Castelo de Salir (Loulé), Monte Molião (Lagos), Mosteiro de Flor da Rosa (Crato) e Mercado de Olhão.
A ação terá início pelas 15h30 com uma visita guiada por Manuel Castelo Ramos à Ermida de Guadalupe.
Desta feita o artista Jorge Rocha irá cozinhar com os investigadores convidados Rui Parreira (Arqueólogo) e Manuel Castelo Ramos (Historiador de Arte). 
COZINHANDO NA PAISAGEM integra-se no projeto PALATO e consiste numa ação performativa sobre sítios históricos e arqueológicos, um espetáculo gastronómico que decorre nos locais com uma paisagem em plano de fundo, abordando temáticas que colocam a Gastronomia de cada época em cruzamento com os hábitos alimentares da sociedade contemporânea. 
Poderá visitar a página do projeto em www.palato.org e (re)ver imagens e vídeos de todas as ações.

Curso de Conservação de Estruturas Arqueológicas | Castelo de Silves

5 a 8 de outubro de 2015


Centro de Interpretação de Vila do Bispo participou no 'Curso de Conservação de Estruturas Arqueológicas' ministrado no Castelo de Silves aos técnicos municipais associados à Rede de Museus do Algarve.
Como Caso de Estudo aplicável à realidade arqueológica de Vila do Bispo, foi trabalhada a questão do restauro e conservação de monumentos megalíticos - menires -, tanto em contextos de ar-livre, como em (futuro!) espaço museológico. 

ObjetivoFornecer uma base teórica com ensaios práticos no terreno...

AUTENTICIDADE - COMPATIBILIDADE - REVERSIBILIDADE

A obra de arte chega até nós como um circuito fechado, algo em que não temos direito a intervir mais do que em dois casos: para a conservar o mais integra possível ou para a reforçar, se for necessário, na sua estrutura material ameaçada



Cesare Brandi




















Programa:








1º dia
5/08







10-13h







Teórica
1.Contextos ambientais de sítios arqueológicos.

2. Princípios de conservação e restauro
2.1. Conceitos de autenticidade.
2.1.1. Valores arqueométricos intrínsecos.

3. Estruturas arqueológicas.
3.1. Noção de estruturas arqueológicas.
3.2. Técnicas construtivas e materiais.



14-17h


Teórica
3.2.1.Cantarias e alvenarias.
3.2.1.1. Materiais de construção
3.2.2. Argamassas: ligantes e agregados.




2º dia
6/08




10-17h




Teórica/ prática
4. Alteração e alterabilidade
4.1. Fichas de diagnóstico e documentação do estado de conservação.
4.2. Fatores de degradação in situ
4.2.1. Mecanismos de degradação física, química e biológica.



14-17h


Teórica/ prática
5. Aplicação de metodologia de intervenção de conservação curativa em estruturas arqueológicas.
5.1.Levantamento e identificação de alterações.
5.2. Limites das intervenções







3º dia
7/08







10-13h
14-17h







Teórica/ prática
5.3. Limpeza e desinfestação
5.3.1. Via húmida, via mecânica e mista.
5.4. Consolidação estrutural e de revestimentos.
5.5. Planificação de preenchimentos e capeamentos
5.5.1. Execução de traços de argamassas.
5.6. Planificação e execução de drenos e passa-muros.

6. Noções básicas de higiene e segurança no trabalho.
6.1. Equipamentos de proteção individual.



4º dia
8/08
10-13h
Trabalho de grupo
7. Planos de manutenção e conservação preventiva.
7.1. Casos de estudo.


14-17h
Trabalho de grupo: Apresentação dos casos de estudo.

História do Mês de Outubro | os Corvos Marinhos e a sua "arte da pesca"

A 'História do Mês' consiste numa iniciativa expositiva do Centro de Interpretação de Vila do Bispo onde mensalmente se apresenta um objeto e um associado discurso informativo.
Além da divulgação, partilha e valorização de determinados apontamentos e curiosidades da memória coletiva do território, pretende-se, com esta iniciativa, provocar hábitos de visita ao nosso equipamento cultural.

Outubro é o mês de maior tráfego no circuito migratório outonal das aves que abandonam o continente europeu a caminho das terras quentes de África. A geografia da região de Sagres há muito que constitui um ponto de passagem de uma significativa diversidade de espécies que, em expressivo número, proporcionam aos amantes do "birdwatching" a possibilidade de observarem um raro fenómeno de grande interesse e espectacularidade. 

Assim, no mês do Birdwatching e no âmbito do Festival de Observação de Aves e Atividades de Natureza de Sagres, convidamos os nossos visitantes a conhecer uma das espécies mais emblemáticas das paisagens marítimas do Concelho de Vila do Bispo - o Corvo Marinho. Agradecemos ao amigo Dário Teixeira o texto e a fotografia da História do Mês de Outubro!

Passando pelo Centro de Interpretação de Vila do Bispo, aproveite também a ocasião para visitar a exposição o 'Mar a Terra e o Tempo no Espaço de Vila do Bispo'.