Feliz de quem tiver uma PEDRA em SAGRES
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Megalitismo & 'Mini-litismo' no Roteiro do Monte dos Amantes


No passado dia 01 de Agosto de 2014, no âmbito das actividades de Verão promovidas pelo Município de Vila do Bispo para as crianças do Concelho (Verão Desportivo | Férias de Verão 2014), 62 pequenotes tiveram a oportunidade de explorar um dos mais significativos apontamentos da nossa longa história regional: os menires!
De facto, o Megalitismo de Vila do Bispo resiste como o mais monumental legado dos nossos antepassados, um distinto e identitário testemunho de uma ímpar "época de ouro", intemporalizada em plena "Idade da Pedra", neste extremo recanto do mundo
Sendo uma das maiores e das mais remotas concentrações de menires conhecida na Península Ibérica (possivelmente a mais antiga e, quem sabe, outrora, a mais expressiva), constitui uma efectiva herança patrimonial, merecedora de toda a atenção e respeito. Neste sentido e numa perspectiva de valorização, de sensibilização e de educação patrimonial, organizou-se um dia no roteiro megalítico do Monte dos Amantes (da Pedra Escorregadia e do Cerro do Camacho), numa área classificada como Imóvel de Interesse Público, em pleno Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.
O "acampamento pré-histórico" implantou-se no parque de merendas que marca o início do Roteiro e de onde, ao longo do dia, partiram diversas equipas de pequenos exploradores. Acompanhados pelos seus "líderes educadores" e conduzidos pelo arqueólogo municipal, Ricardo Soares, e pela guia de natureza Carla Cabrita, estes intrépidos "caçadores-recolectores" bateram a área circundante ao "acampamento base", recolhendo um diversificado pacote de elementos informativos e formativos: a leitura da própria paisagem envolvente; o reconhecimento de menires e a identificação de gravuras neles inscritas; alguns dos possíveis significados e o enquadramento histórico destas mega-pedras; a importância da preservação do património histórico-arqueológico enquanto herança cultural e memória identitária (de todos e para todos); algumas curiosidades acerca da flora disponível ao longo do trilho; a importância da preservação do ambiente natural e a questão do Parque Natural; e, claro, as regras e os cuidados a ter em conta numa caminhada pela Natureza e pela História.
Tratou-se da 2.ª "oficina arqueológica", na sequência de outras acções de educação patrimonial e ambiental previstas para as Férias de Verão 2014...

Pergunta de uma criança ao ver o arqueólogo chegar com um colete verde florescente: «És tu o homem das Bolas de Berlim?»

O nosso Obelix!
Fotografia de Ricardo Soares & Luís Picão