Feliz de quem tiver uma PEDRA em SAGRES

Palavras-chave | Keywords

"Boca do Rio" "Ermida da Guadalupe" "Farol de São Vicente" "Fauna e Flora" "Fortaleza de Sagres" "Gentes & Paisagens" "Gentes de Vila do Bispo" "Geologia e Paleontologia" "História do Mês" "Martinhal" "Menires de Vila do Bispo" "Paisagens de Vila do Bispo" "Tales from the Past" "Vale de Boi" 3D Abrigo Antiguidade Clássica Apicultura ArqueoAstronomia Arqueologia Experimental Arqueologia Industrial Arqueologia Pública Arqueologia Subaquática Arquitectura arte Arte Rupestre Artefactos Baleeira Barão de São Miguel Base de Dados Bibliografia biodiversidade Budens Burgau Calcolítico Carta Arqueológica de Vila do Bispo Cartografia Cetárias Cista CIVB-Centro de Interpretação de Vila do Bispo Complexo industrial Concheiro Conservação e Restauro Descobrimentos Divulgação Educação Patrimonial EPAC Escolas & Paisagens de Vila do Bispo Espeleo-Arqueologia Estacio da Veiga Estela-menir Etnografia Exposição Figueira Filme Forte Fotografia Geographia Grutas Homem de Neandertal Idade Contemporânea Idade do Bronze Idade do Ferro Idade Média Idade Moderna Iluminados Passeios Nocturnos Ingrina Islâmico Landscape marisqueio Medieval-Cristão Megalitismo menires Mesolítico Mirense mitos & lendas Moçarabe Moinhos Museologia Navegação Necrópole Neo-Calcolítico Neolítico Neolítico Antigo NIA-VB Paleolítico Património Edificado Património natural Património partilhado Pedralva Pesca Povoado Pré-história Proto-história Raposeira Recinto Megalítico/Cromeleque Referências RMA Romano Roteiro Sagrado Sagres Salema Santos Rocha São Vicente Seascape Toponímia Vila do Bispo Villa Romana
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Crianças que percorrem os antigos caminhos da água de Vila do Bispo

Conhecimento do Património Local
Escolas & Paisagens
Serviço Educativo



Em fevereiro de 2019, as crianças do 1.º Ciclo das Escolas EB1 de Vila do Bispo, Budens e Sagres, na sua disciplina “Conhecimento do Património Local”, integrada nas Atividades de Enriquecimento Curricular proporcionadas pelo Município aos alunos do Concelho, bem como as crianças do 5.º Ano de Ciências Naturais da professora Ana Sousa, da Escola EB23 São Vicente, em Vila do Bispo, no âmbito do projeto “Escolas & Paisagens de Vila do Bispo”, tiveram a oportunidade de (re)descobrir os antigos caminhos do abastecimento de água à Vila do Bispo.
Na companhia da nossa querida amiga Ana Júlia Louçã, moradora em Vila do Bispo e profunda conhecedora da temática abordada, de Ricardo Soares, arqueólogo municipal, e de Andreia Gerardo, docente coordenadora da AEC Conhecimento do Património Local,  ou seja, parte da equipa do Serviço Pedagógico do futuro Museu de Vila do Bispo – o Celeiro da História, as crianças partiram à descoberta do percurso que ainda hoje assegura parte do abastecimento de água à Vila do Bispo, um caminho natural e cultural iniciado na antiga nascente do Monte Salema, a Mãe d’água ou fonte velha, que segue pelo cano-de-água, um singelo aqueduto que alimenta a fonte “nova”, construída em 1844, no atual Jardim da Fonte, derivando pela Rua da Ribeira do Poço até aos lavadouros municipais e aos bebedouros dos animais, junto ao Mercado.
Além dos locais visitados, houve tempo para conversar sobre outros pontos de abastecimento de água do Concelho, outras fontes, chafarizes, bicas, poços, furos, noras, cisternas, tanques e depósitos...
Por fim, foi transmitida uma preciosa mensagem relativa à importância da água enquanto escasso recurso vital, renovável, sim, mas não inesgotável... uma reflexão que aqui partilhamos:

Sabias que 70% da superfície do nosso planeta encontra-se coberta por ÁGUA?
Sabias que 70% do nosso corpo é constituído por ÁGUA?
Sabias que todos os seres vivos precisam de água?
H2O é a primorosa fórmula da Vida!
As primeiras formas de vida na Terra desenvolveram-se na ÁGUA.
Sim, todos os seres vivos, todas as plantas e todos os animais dependem da ÁGUA e, claro, o Homem não é exceção, pois faz parte da mesma Natureza...
Hoje, para ter água basta abrir uma torneira!
Ok, a água vem pelos canos, dos depósitos e das barragens... certo?
Mas... e antigamente?
Bom, vamos lá então conhecer os antigos caminhos da nossa ÁGUA!
Ainda hoje, parte do abastecimento de água da Vila do Bispo é garantido por uma muito velhinha nascente que se encontra a 700 metros, na berma da antiga estrada que nos leva até Sagres.
Conhecida como Fonte Velha, esta rica Mãe d’Água tem água fresca mesmo nos meses secos do Verão, sendo conduzida pela gravidade até à Vila, através de um aqueduto, ou cano de água.
Em 1884 foi construída, mais pertinho da população, uma nova fonte para receber esta água.
É a bonita fonte de pedra que ainda hoje podemos apreciar no Jardim da Fonte!
Mas a água da velha nascente continua o seu caminho... não para!
Chega à bica da Rua do Norte, chega ao chafariz da Rua de São Gonçalo de Lagos, chega aos antigos lavadouros da roupa e chega, finalmente, aos bebedouros para os animais que ainda existem ao pé do Campo da Bola.
Na verdade, a água continua o seu percurso, agora de forma natural, infiltrando-se nos solos e seguindo por rios subterrâneos que desaguam no mar.
Sim, a água nunca para!
Chegando ao mar evapora para a atmosfera e volta a cair sob a forma da chuva que alimenta as plantas e as árvores que nos oferecem o oxigénio que respiramos.
Porém, banheiras cheias, piscinas, campos de golf e muitas lavagens de roupa podem esgotar a água potável disponível no Planeta.
No Algarve, região em que a cada ano que passa chove menos, as barragens encontram-se vazias e os terrenos agrícolas cada vez mais secos e inférteis.
O maior deserto do Mundo é já ali... em linha reta o Saara fica apenas a 700 km do Algarve!!!
Mas o que podemos fazer para resolver este problema?
É fácil: se cada um de nós poupar um pouquinho de água por dia, será uma grande ajuda para garantirmos, juntos, um futuro mais feliz para todos.
Por exemplo, podemos começar por fechar a torneira enquanto lavamos os dentes, por tomar duches rápidos e usar corretamente as máquinas de lavar roupa, minimizando o número de lavagens e o consumo de água.
Devemos selecionar programas económicos e apenas lavar a roupa que necessita de limpeza.
Além da poupança nas contas da eletricidade e da água, conseguimos, assim, reduzir o desperdício de águas residuais que se perdem nos esgotos, carregando poluentes associados aos detergentes, muito nocivos para o ambiente e Natureza.
Sabias que as máquinas de lavar roupa gastam, em média, 45 litros de água em cada lavagem, ou seja, para lavar 7 kilos de roupa gastamos 9 garrafões de 5 litros de ÁGUA?
Sabias que as máquinas de lavar roupa são responsáveis por 10% do consumo de água numa habitação?
E sabias que em Portugal 95% das habitações possuem uma máquina de lavar roupa?
Mas, nem sempre foi assim!
Sabias que no tempo dos nossos avós a roupa era lavada à mão?
Aqui, em Vila do Bispo, as pessoas lavavam grande parte da sua roupa nos lavadouros que ainda funcionam na zona baixa da Vila, na Rua da Ribeira do Poço.
Á água é um recurso renovável, mas não é ilimitado, pelo que devemos poupar no seu consumo e evitar o seu desperdício.
O futuro está nas nossas mãos!
São as mãos que cuidam da ÁGUA, da vida e da saúde do nosso Planeta!
Os nossos pequenos gestos são como as gotinhas de ÁGUA que formam um grande Oceano!!!
Afinal a ÁGUA não é uma fronteira.
A ÁGUA aproxima as pessoas... junto das fontes, junto dos poços, dos lavadouros e das noras.
A ÁGUA aproxima os povos... no mar e além-mar.
A ÁGUA é vida, recurso, caminho, desafio e aventura.
A ÁGUA é cultura, em Vila do Bispo, no Algarve, em Portugal, no Mundo...