Feliz de quem tiver uma PEDRA em SAGRES

Palavras-chave | Keywords

"Boca do Rio" "Ermida da Guadalupe" "Farol de São Vicente" "Fauna e Flora" "Fortaleza de Sagres" "Gentes & Paisagens" "Gentes de Vila do Bispo" "Geologia e Paleontologia" "História do Mês" "Martinhal" "Menires de Vila do Bispo" "Paisagens de Vila do Bispo" "Tales from the Past" 3D Abrigo Antiguidade Clássica Apicultura ArqueoAstronomia Arqueologia Experimental Arqueologia Industrial Arqueologia Pública Arqueologia Subaquática Arquitectura arte Arte Rupestre Artefactos Baleeira Barão de São Miguel Base de Dados Bibliografia biodiversidade Budens Burgau Calcolítico Carta Arqueológica de Vila do Bispo Cartografia Cetárias Cista CIVB-Centro de Interpretação de Vila do Bispo Complexo industrial Concheiro Conservação e Restauro Descobrimentos Divulgação Educação Patrimonial EPAC Escolas & Paisagens de Vila do Bispo Espeleo-Arqueologia Estacio da Veiga Estela-menir Etnografia Exposição Figueira Filme Forte Fotografia Grutas Homem de Neandertal Idade Contemporânea Idade do Bronze Idade do Ferro Idade Média Idade Moderna Iluminados Passeios Nocturnos Ingrina Islâmico Landscape marisqueio Medieval-Cristão Megalitismo menires Mesolítico Mirense mitos & lendas Moçarabe Moinhos Museologia Navegação Necrópole Neo-Calcolítico Neolítico Neolítico Antigo NIA-VB Paleolítico Património Edificado Património natural Património partilhado Pedralva Pesca Povoado Pré-história Proto-história Raposeira Recinto Megalítico/Cromeleque Referências RMA Romano Roteiro Sagrado Sagres Salema Santos Rocha São Vicente Seascape Toponímia Vila do Bispo Villa Romana
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Povoado do Monte do Grelha | Sagres

No âmbito do projeto “Carta Arqueológica do Concelho de Vila do Bispo”, ao longo das últimas semanas intensificámos as saídas de campo, aproveitando o óptimo anual da prospectabilidade arqueológica – a vegetação baixa e seca e os terrenos lavrados permitem janelas de visibilidade que potenciam a identificação de vestígios do passado.
Foi assim que, entre outras recentes descobertas, identificámos mais um provável povoado pré-protohistórico, em parte exposto pela extração de areias, numa área dunar superficialmente concrecionada, junto do Monte do Grelha, em Sagres, a cerca de 800 metros do povoado do Catalão.
Quer ao nível da implantação na paisagem, como dos vestígios registados à superfície, este novo arqueossítio apresenta características muito similares relativamente ao povoado do Catalão, local onde a investigação arqueológica documentou uma ocupação enquadrável na fase de transição entre o Calcolítico e a Idade do Bronze.
A nossa informal e multidisciplinar equipa, desta feita formada por Ricardo Soares (arqueólogo), Beatriz Tomás Oliveira (geóloga) e Álvaro Banaco (técnico de turismo), registou os seguintes vestígios: abundante fauna malacológica, dominando o mexilhão e a lapa, assinalando-se, também, restos de búzio, caramujo (burgau) e unhas de perceve; indústria macrolítica em grauvaque; uma erodida estrutura de combustão (lareira), exposta pela extração de areias, composta por termoclástos e preenchida por “orgânicas” areias negras; uma significativa quantidade de fragmentos de cerâmica manual (bordos simples, fundos planos, cozeduras redutoras e superfícies brunidas não reticuladas) que, pela análise macroscópica das pastas, se admite, em parte, resultarem de produção local, pois apresentam pastas que incorporam elementos desengordurantes presentes na geologia da área. Apenas se identificou um núcleo em sílex, o que corrobora a nossa preliminar proposta cronológica – transição Calcolítico-Idade do Bronze –, sobretudo alicerçada na proximidade e semelhança com a implantação e materiais descritos do povoado do Catalão.