Feliz de quem tiver uma PEDRA em SAGRES

Palavras-chave | Keywords

"Boca do Rio" "Cabranosa" "Cerro do Camacho" "Concheiro do Castelejo" "Ermida da Guadalupe" "Farol de São Vicente" "Fauna e Flora" "Fortaleza de Sagres" "Forte de Almádena" "Forte de Beliche" "Gentes & Paisagens" "Geologia e Paleontologia" "História do Mês" "Martinhal" "Menir da Lomba da Góia" "Menir de Arneiros" "Menir de Aspradantas" "Menir de Bem Parece" "Menires de Milrei" "Menires de Santo António" "Menires de Vila do Bispo" "Menires do Monte dos Amantes" "Menires do Padrão" "Paisagens de Vila do Bispo" "Pedra Escorregadia" "Tales from the Past" "Vale de Boi" "Vale de Gato de Cima" 3D Abrigo Antiguidade Clássica Apicultura ArqueoAstronomia Arqueologia Experimental Arqueologia Industrial Arqueologia Pública Arqueologia Subaquática Arquitectura arte Arte Rupestre Artefactos Baleeira Bibliografia biodiversidade Budens Calcolítico Carta Arqueológica de Vila do Bispo Cartografia Cetárias Cista CIVB-Centro de Interpretação de Vila do Bispo Complexo industrial Concheiro Conservação e Restauro Descobrimentos Divulgação Educação Patrimonial EPAC Escolas & Paisagens de Vila do Bispo Espeleo-Arqueologia Estacio da Veiga Estela-menir Etnografia Exposição Farol Figueira Filme Forte Grutas Homem de Neandertal Idade Contemporânea Idade do Bronze Idade do Ferro Idade Média Idade Moderna Iluminados Passeios Nocturnos Ingrina Islâmico Landscape marisqueio Medieval-Cristão Megalitismo menires Mesolítico Mirense mitos & lendas Moçarabe Moinhos Museologia Navegação Necrópole Neo-Calcolítico Neolítico Neolítico Antigo Paleolítico Património Edificado Património natural Património partilhado Pedralva Pesca Povoado Pré-história Proto-história Raposeira Recinto Megalítico/Cromeleque RMA Romano Roteiro Sagrado Sagres Salema São Vicente Seascape Toponímia Vila do Bispo Villa Romana
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

KICK IN THE EYE no Centro de Interpretação de Vila do Bispo

02 novembro - 11 dezembro
entrada livre







































O Centro de Interpretação de Vila do Bispo acolhe, entre 02 de novembro e 11 de dezembro de 2015 uma exposição de Armando Mesías (Colômbia) que resulta do seu trabalho desenvolvido no âmbito do projeto KICK IN THE EYE, no passado mês de fevereiro.
KICK IN THE EYE é um projeto do LAC (Laboratório de Atividades Criativas) que se propõe a convidar artistas nacionais e internacionais a participar em residências artísticas, cujo trabalho e percurso pessoal valorize a pesquisa em/com comunidades locais absorvendo e integrando-as na sua obra, neste caso na cidade de Lagos.
A cidade de Lagos, enquanto destino turístico, é habitualmente visitada por artistas de variadas origens. No entanto essa visita raramente se converte em trabalho artístico que materialize essa passagem pela região e, mais raramente ainda, esse trabalho, a existir, é dado a conhecer à população/comunidade local.
Por outro lado, o turismo enquanto indústria alterou (e altera ainda) profundamente a região nas últimas décadas, tendo transformado as realidades populacionais, laborais, culturais, ecológicas, linguísticas, etc… Face à velocidade e dimensão das transformações operadas tem havido algum deficit de reflexão e produção artística que questionem e cartografem (como marcas para o futuro) o caminho entretanto percorrido.
Acresce a dificuldade em impor a região como destino de turismo cultural que valorize igualmente o património artístico histórico, tal como o contemporâneo. Neste particular sentimos a necessidade de um projeto que convidasse artistas a, propositadamente, habitarem temporariamente a cidade/região e, em residência artística, devolverem esse olhar/reflexão através de trabalho aqui realizado.
Esta é mais uma actividade promovida em parceria com o Município da Vila do Bispo.

Armando Mesías nasceu em 1986, em Cali, na Colômbia e atualmente vive e trabalha em Barcelona. Armando explora o retrato através combinações entre o traço abstrato do pincel com o trabalho da linha detalhada, que se fundem através de uma palete de cores néons brilhantes. A exploração é uma obrigação.