Feliz de quem tiver uma PEDRA em SAGRES
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Passeio da LPN-Algarve entre Vila do Bispo e Sagres

No passado dia 2 de maio, Vila do Bispo propiciou, ao Núcleo do Algarve da Liga para a Proteção da Natureza, um passeio pedestre entre Vila do Bispo e Sagres, entre o megalitísmo menírico de Vila do Bispo, a Reserva Biogenética do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina e as arrebatadoras paisagens geológicas do Martinhal.
Ao longo de um percurso de cerca de 10 km, os 28 participantes, provenientes de diversas origens (Vila do Bispo, Lagos, Monchique, Portimão, Faro, Lisboa, etc.), tiveram a oportunidade de contactar com um diversificado complexo paisagístico (natural e cultural) de inegável beleza e pleno de singularidades locais. As paisagens visitadas foram partilhadas por diferentes mas complementares perspectivas: Natureza (fauna e flora), Geologia, Arqueologia, História e Etnografia.
O grupo organizado por Elizabete Rodrigues, do Núcleo do Algarve da Liga para a Proteção da Natureza, foi guiado por Ricardo Soares (arqueólogo da Câmara Municipal de Vila do Bispo), Carla Cabrita (guia de natureza) e Beatriz Oliveira (investigadora da Geologia e Paleontologia locais).
A aventura teve início no trilho megalítico da Pedra Escorregadia, passando ao Monte dos Amantes e subindo ao Cerro do Camacho, área onde foram transmitidas diversas informações acerca do exemplar património menírico ali presente. 
Com Sagres no horizonte, contornando a Alcaria do Melão, o grupo seguiu na direcção do Monte Peniche. Pelo caminho foram diversos os apontamentos de ordem natural (flora e fauna) transmitidos por Carla Cabrita. 
Já sobre o mar, nas arribas entre a Ponta dos Caminhos e a Praia dos Rebolinhos, Beatriz Oliveira descreveu aquelas interessantes paisagens numa perspectiva geológica. Descendo à Praia dos Rebolinhos, os exploradores cruzaram a Ribeira da Torre, sem antes se refrescarem no azul-turquesa daquele mar, sempre com os seus ilhotes cenicamente fotogénicos. 
Por fim, a Praia do Martinhal e o complexo oleiro de época romana, mais uma oportunidade para a transmissão de algumas informações arqueológicas. 

Fotografias de Carla Salvador