Feliz de quem tiver uma PEDRA em SAGRES

Palavras-chave | Keywords

"Boca do Rio" "Cabranosa" "Cerro do Camacho" "Concheiro do Castelejo" "Ermida da Guadalupe" "Farol de São Vicente" "Fauna e Flora" "Fortaleza de Sagres" "Forte de Almádena" "Forte de Beliche" "Gentes & Paisagens" "Geologia e Paleontologia" "História do Mês" "Martinhal" "Menir da Lomba da Góia" "Menir de Arneiros" "Menir de Aspradantas" "Menir de Bem Parece" "Menires de Milrei" "Menires de Santo António" "Menires de Vila do Bispo" "Menires do Monte dos Amantes" "Menires do Padrão" "Paisagens de Vila do Bispo" "Pedra Escorregadia" "Tales from the Past" "Vale de Boi" "Vale de Gato de Cima" 3D Abrigo Antiguidade Clássica Apicultura ArqueoAstronomia Arqueologia Experimental Arqueologia Industrial Arqueologia Pública Arqueologia Subaquática Arquitectura arte Arte Rupestre Artefactos Baleeira Bibliografia biodiversidade Budens Calcolítico Carta Arqueológica de Vila do Bispo Cartografia Cetárias Cista CIVB-Centro de Interpretação de Vila do Bispo Complexo industrial Concheiro Conservação e Restauro Descobrimentos Divulgação Educação Patrimonial EPAC Escolas & Paisagens de Vila do Bispo Espeleo-Arqueologia Estacio da Veiga Estela-menir Etnografia Exposição Farol Figueira Filme Forte Grutas Homem de Neandertal Idade Contemporânea Idade do Bronze Idade do Ferro Idade Média Idade Moderna Iluminados Passeios Nocturnos Ingrina Islâmico Landscape marisqueio Medieval-Cristão Megalitismo menires Mesolítico Mirense mitos & lendas Moçarabe Moinhos Museologia Navegação Necrópole Neo-Calcolítico Neolítico Neolítico Antigo Paleolítico Património Edificado Património natural Património partilhado Pedralva Pesca Povoado Pré-história Proto-história Raposeira Recinto Megalítico/Cromeleque RMA Romano Roteiro Sagrado Sagres Salema São Vicente Seascape Toponímia Vila do Bispo Villa Romana
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Abrigo do Zavial (ou da mós) | Raposeira


Abrigo sob pala calcária, localizado no extremo nascente da praia do Zavial e a cerca de 30 metros acima da mesma.
Trata-se de um extenso e longo abrigo, com aparente desenvolvimento cársico para cavidades interiores, colmatadas por depósitos sedimentares e pela fracturação rochosa, clastos de calcário que resultaram do desmonte erosivo e, sobretudo, do talhe de mós circulares para moinhos de vento.
A sondagem realizada em 2006, da responsabilidade do Professor Nuno Bicho da Universidade do Algarve, revelou uma estratigrafia com cerca de 1,8 m de potência. Ainda que tenham sido encontrados alguns fragmentos de conchas, bem como um núcleo de sílex provavelmente de época paleolítica, não foram assinalados outros materiais pré-históricos. O único artefacto encontrado, de época moderna, encontrava-se junto à base da sondagem, acima da rocha de base.
A referida intervenção arqueológica integrou-se num projeto de investigação da autoria de Nuno Bicho, António Faustino de Carvalho, C. Reid Ferring, John Lindley e Maria João Sá Viana Sampaio e Melo Valente, definindo, como objetivo principal, o estudo da importância dos recursos aquáticos na economia e na subsistência dos caçadores recolectores do paleolítico na região do Algarve. Pretendeu-se rever a posição tradicional sobre a diminuta importância, nesta época, de recursos como peixes, moluscos, mariscos, répteis e anfíbios, através da escavação de, pelo menos, 4 sítios marcados pela presença abundante de fauna e cobrindo cronologicamente o Paleolítico Médio, Superior e o Epipaleolítico (50000 e os 8500 anos BP), nomeadamente no abrigo de Vale de Boi (Budens, Vila do Bispo), na Gruta de Ibn ’Ammar (Estômbar, Lagoa), na Lagoa do Bordoal (Raposeira, Vila do Bispo) e no Barranco das Quebradas (Sagres, Vila do Bispo).

Futuramente, tendo em conta o elevado potencial arqueológico e espeleológico do abrigo do Zavial, é nossa intenção promover uma vigorosa intervenção multidisciplinar que, por via da parcial e objetiva desobstrução de sedimentos, alcance presumíveis níveis arqueológicos selados pelo tempo e pela rocha.