Feliz de quem tiver uma PEDRA em SAGRES
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Protocolo de Cooperação para a Investigação Histórico-Arqueológica da Costa Vicentina

No dia 21 de Novembro de 2014, a Associação de Defesa do Património Histórico e Arqueológico de Aljezur (ADPHAA), representada pelo Sr. Vice-presidente da Direcção, o nosso "bom vizinho" e amigo José Manuel Marreiros, entregou à Câmara Municipal de Vila do Bispo, na pessoa do seu arqueólogo, Ricardo Soares, um conjunto de 4 peças cerâmicas, provenientes de contexto aquático, a cerca de 6 a 7 milhas ao largo do Cabo de São Vicente. 
As peças foram fortuitamente trazidas "à tona" por redes de pesca, sendo posteriormente (e em "boa hora"!) entregues à ADPHAA pelo seu achador, o Sr. Herman Francisco, pescador residente na Carrapateira (Aljezur). 

Aqui se cita um trecho de um preliminar estudo tipológico das referidas peças, promovido pela ADPHAA e da autoria do arqueólogo Joel Rodrigues: 

"A análise dos materiais recuperados indica tratar-se de um conjunto coeso no que toca à cronologia, mas diverso no que concerne à proveniência deles. É possível que sejam materiais pertencentes a um mesmo naufrágio, integrando a parafernália própria de uma embarcação do século XVII. Pela natureza dos achados, não é possível avançar com hipóteses no que concerne à bandeira do navio"

Tendo em conta os naufrágios conhecidos ao largo do Cabo de São Vicente, designadamente na disponível bibliografia de referência, e a própria análise tipológica das peças recentemente recuperadas (um conjunto coevo enquadrável na segunda metade do século XVII), quem sabe estes achados reproduzam o eco de um naufrágio, como o da tartana (ou fusta?) francesa, 'Saint François', naufragada em 1671-72, durante um temporal ao largo do Cabo de São Vicente, segundo o testemunho directo de um dos tripulantes sobreviventes.

Após o necessário desenvolvimento da investigação já encetada, o Centro de Interpretação de Vila do Bispo apresentará os resultados e as peças ao público interessado, celebrando-se, assim, um Protocolo de Cooperação para a Investigação Histórico-Arqueológica da Costa Vicentina, entre a Câmara Municipal de Vila do Bispo e a Associação de Defesa do Património Histórico e Arqueológico de Aljezur, dois bons vizinhos neste território sem fronteiras...