Feliz de quem tiver uma PEDRA em SAGRES
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sepulturas (cistas) do Padrão | Raposeira


Localizadas na encosta poente de um discreto cerro com 82 m de altitude, 270 m SE do menir (re)erguido do Padrão (à direita da EM1257 – Raposeira-Ingrina), 1 km a sul do vértice geodésico "Milrei" (outra área de concentração megalítica), encontram-se duas sepulturas de tipo "cista", estruturadas por lajes de calcário bem aparelhadas "em cutelo"
Em 1987, estas sepulturas foram objecto de escavações arqueológicas dirigidas por Mário Varela Gomes. Há muito violadas, ainda assim foi possível recolher alguns fragmentos cerâmicos de taças carenadas  "fóssil director" para a Idade do Bronze.
Junto das sepulturas, ainda se encontra uma laje/tampa completa, anexa a uma das cistas; dois fragmentos de outra laje/tampa, correspondentes à outra cista; um pequeno menir de calcário (entre as sepulturas); um interessante bloco afeiçoado em calcário, interpretado como "estela-menir", que, pelo facto de apresentar uma forma antropomórfica ("entalhes de ombros"), constitui um argumento em favor da tese que defende os menires enquanto representações escultóricas da forma humana e as estelas-menires enquanto evolução dos menires.
A 50 m deste conjunto, dominando o cerro, um grande menir (9) fragmentado em 3 partes, cujas escavações, de que foi alvo em 1987, também realizadas por Mário Varela Gomes, permitiram revelar um pequeno tumulus, de disposição subcircular, com 5 m de maior diâmetro e 50 cm de espessura pétrea. O tumulus apresentou-se como uma "couraça" com 3 anéis de blocos de pedra, onde se escondia um "depósito de oferendas": elementos de um mó manual em grauvaque (dormente e movente); um artefacto de forma ovóide; uma parte de um vaso cerâmico; restos de fauna malacológica (lapas).
Mais uma vez foi documentado, no nosso concelho, um exemplo de (re)sacralização de um monumento megalítico por culturas e cultos ulteriores, neste caso pelas gentes da Idade do Bronze.
Trata-se, portanto, de um interessante conjunto arqueológico, disposto numa ainda apelativa paisagem natural, que merece atenção, preservação e futura fruição organizada...

Bibliografia de referência: 
GOMES, M. V. e SILVA, C. T. da (1987)  Levantamento Arqueológico do Algarve - Concelho de Vila do Bispo. Delegação Regional do Sul. Secretaria de Estado da Cultura. 


10.06.2014
29.08.2014 - erectus!!!
(as fantásticas dinâmicas dos menires de Vila do Bispo...)
Menir 9 e tumulus, segundo Mário Varela Gomes