Feliz de quem tiver uma PEDRA em SAGRES
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Farol do Cabo de São Vicente | Sagres

 

O farol do Cabo de São Vicente, ou farol de D. Fernando, localiza-se na fortaleza de São Vicente, freguesia de Sagres, concelho de Vila do Bispo, Algarve. Trata-se de uma torre cilíndrica em cantaria, com edifício anexo, impondo-se naquela paisagem do alto dos seus 28 metros de altura. Apresenta uma lanterna e varandim vermelhos.

Foi mandado erigir por D. Maria II, entrado em funcionamento em Outubro de 1846. Começou por ser iluminado a azeite, emitindo dois clarões de dois segundos a cada dois minutos de período, sendo que o alcance luminoso rondava as seis milhas náuticas. O farol passou, entretanto, por um período de abandono de vários anos, atingindo um estado de quase ruína. Em 1897, devido ao seu precário estado e ao insuficiente rendimento da sua luz, foram desenvolvidos trabalhos de remodelação. Assim, a torre foi aumentada em 5,70 metros e o aparelho óptico original foi substituído por um novo, mais avançado. As obras duraram 11 anos e em 1897 o farol recomeçou a trabalhar com um novo aparelho, hiper-radiante.

"Com efeito, foi instalado um aparelho lenticular de Fresnel de 1330 milímetros de distância focal – o que lhe confere a categoria de hiper-radiante, actualmente a maior óptica que existe nos faróis portugueses e um dos dez maiores do mundo, consistindo em três painéis ópticos de oito metros quadrados com 3,58 metros de altura, flutuando em 313 quilogramas de mercúrio. A fonte luminosa instalada, era um candeeiro de nível constante de cinco torcidas, passando, anos mais tarde, a funcionar com a incandescência pelo vapor de petróleo. A rotação da óptica era conseguida através de um mecanismo de relojoaria."
Revista da Armada (Novembro de 2002)

O farol passou, então, a iluminar com um período de 15 segundos e 5 relâmpagos, passando o seu alcance luminoso a rondar as 33 milhas náuticas. Em 1914 foi equipado com um sinal sonoro (a "vaca" - designação popular) e em 1926 foram instalados motores-geradores, permitindo a substituição da lanterna a vapor de petróleo por uma lâmpada eléctrica. Em 1947, face às necessidades militares da Segunda Guerra Mundial, foram-lhe instalados painéis deflectores, tornando-se, assim, num farol aeromarítimo. Em 1948 o farol é finalmente ligado à rede pública de energia eléctrica. Um ano depois, recebe um rádio farol que funcionou até 2001, entretanto automatizado em 1982.

Localização - Cabo de São Vicente/Sagres/Vila do Bispo
Posição - Latitude, 37º 01,3' Norte; Longitude, 08º 59,7' Oeste
Estrutura - Torre cilíndrica branca, com edifício anexo
Altura da torre - 28 metros
Sistema iluminante - óptica em cristal, direccional rotativa
Luz - branca
Alcance luminoso - 32 milhas
Ano de estabelecimento - 1846
N.º nacional - 436
N.º internacional - D-2168


"Vindo de Ruão para Argel, em Setembro último (1932), no vapor Ange Schiaffino, amanheceu-nos no Cabo de S. Vicente, e tão perto de terra firme o dobrámos que estivemos, por assim dizer, à fala com a gente do farol."
Teixeira-Gomes, Regressos